quinta-feira, 29 de março de 2012

Sem saber que estava grávida, catadora dá à luz no Centro de Porto Alegre

Catadora de recicláveis de 38 anos se sentiu mal e teve bebê na manhã de quarta.
Mãe e filha foram encaminhadas pelo Samu a hospital e passam bem.

Carrinho de coleta onde bebê nasceu em Porto Alegre (Foto: Reprodução/RBS TV)
Carrinho de Coleta onde nasceu o bebê

Uma catadora de materiais recicláveis de 38 anos deu à luz uma menina sobre um carrinho de coleta no final da manhã desta quarta-feira (28) perto do terminal de ônibus Parobé, no Centro de Porto Alegre, informou a Brigada Militar. Segundo o pai da criança, o também catador de lixo Geracildo Carvalho, o casal não sabia da gravidez. Ele acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) porque mulher se sentiu mal, mas o nascimento ocorreu antes da chegada da ambulância.

"Ela me disse que estava sentindo dores no corpo. Levei a mão à barriga, senti o corpo dela um pouco duro e disse que achava que ela estava grávida. Ela disse que não ganharia mais nenhuma criança", disse Geracildo.

A orientação de chamar o Samu partiu dos policiais militares que estavam no local. Antes da chegada da ambulância, a mulher pediu para ir ao banheiro.

"No trajeto da mulher até o banheiro a criança veio ao mundo. Ele (Geracildo) veio rapidamente nor avisar que o bebê havia nascido. Estava surpreso, pois nem sabia da gravidez", disse o policial militar Fernando Sparremberger.

Os policiais esperaram pela chegada de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao lado da mãe, que ficou sobre o carrinho até a chegada dos médicos. "Os primeiros atendimentos são essenciais, até para verificarmos se o cordão não estava no pescoço da criança. Não havia como retirar a mãe e a criança do carrinho", disse o policial Maurício Gonçalves ao G1.

Não é a primeira vez que Gonçalves enfrenta a situação. Ele conta que já levou uma mulher em trabalho de parto a um hospital. "Ela não ganhou (o bebê) na viatura. Quando podemos nos deslocar, fazemos isso, mas cada caso é um caso. O principal é o primeiro atendimento, quando verificamos quais procedimentos devemos adotar", explica.

terça-feira, 27 de março de 2012

Atitudes que Fazem a Diferença

Em menos de 30 dias, adesivos instalados no CCU da Unicruz já foram danificados

Os projetos Profissão Catador e Coleta Seletiva Solidária da Universidade de Cruz Alta (CSS), a mais de um ano estão juntos buscando através de ações a conscientização da comunidade acadêmica no que se refere a atitudes sustentáveis e de educação no momento de descarte de materiais. Esse lixo que produzimos causa efeitos desastrosos ao meio ambiente e interfere diretamente na vida de cada um de nós. Quando esse lixo é corretamente separado o cenário já muda, através da atitude educada de separação correta colaboramos com a geração de renda para diversas famílias sendo que nossa colaboração ultrapassa o âmbito social e passa a atingir também o econômico. Atitudes conscientes são nossa principal arma em benefício a nossa própria vida, pois tudo funciona através de uma cadeia, de ciclos onde nossas ações causam reações e geram reflexos positivos ou negativos. Provocar uma mudança de atitude é um processo demorado e inclui também o processo de modificação cultural, o que geralmente não acontece em um curto período de tempo. Durante esse processo as atitudes irresponsáveis são o principal complicador do andamento das ações, a falta de colaboração e a não valorização do esforço feito para a implantação de mecanismos que tornem nossas vidas mais sustentáveis as vezes interrompe a continuidade das estratégias usadas em benefício de uma vida melhor para todos nós.
Preservar e contribuir com iniciativas importantes para a vida do planeta vem de dentro de cada um, mas isso, precisa ser provocado, precisa ser lembrado todos os dia mesmo que ainda seja difícil provar a todos que fazem parte desse processo que as atitudes corretas são importantes.
Portanto na hora de agir, olhe para o lado pois você não está sozinho e está sendo observado pelo próprio meio ambiente.

Atitudes fazem a diferença, positivamente ou não!

IDÉIAS SUSTENTÁVEIS E LINDAS

Estamos muito motivados com tantas idéias sustentáveis que surgiram nos últimos anos. Sempre ficamos impressionados como é possível produzir efeitos impactantes com materiais tão inusitados e, que muitas vezes, acabariam no lixo após o primeiro uso. Reaproveitando objetos ou reciclando materiais, o que importa é construir um ambiente diferenciado, funcional e bonito.

Abaixo temos algumas idéias que ficariam incríveis em lojas, escritórios e até mesmo na sua casa!

O escritório sueco de design
Okatvilla é um bom exemplo. Suas paredes são feitas com pilhas e mais pilhas de revistas, recurso que além de garantir um efeito de fazer cair o queixo, garante isolamento acústico. O projeto é do escritório de arquitetura Elding Oscarson. A idéia também ficaria ótima em provadores, já imaginaram? Garante que nada seja visto do outro lado e isola sonoramente o ambiente, o que permitiria a instalação de som ambiente nas cabines (quem sabe até escolhido pelo cliente, como acontece no interior das cabinas da Farm).


A parede feita com muitas revistas empilhadas e, ao lado, as pilhas de revistas em detalhe



Que tal uma parede de garrafas para criar um ambiente especial dentro da sua loja?



Uma estante feita com caixotes de feira é perfeita para criar nichos que poderiam abrigar toys, livros, pilhas de camisetas ou objetos de linha home. Que tal?

Fonte: http://ameconsultoria.wordpress.com/2010/08/11/ideias-sustentaveis-e-lindas/

terça-feira, 20 de março de 2012

Horta Suspensa com Garrafas PET

A garrafa PET é uma invenção que deu certo em termos econômicos, mas vem trazendo uma dor de cabeça quando pensamos na enorme degradação do Meio Ambiente causada por ela.
Buscar alternativas para sua reutilização tem sido um esforço da sociedade em diversos lugares do Brasil, como já constatei nas minhas andanças pelo país.
As garrafas plásticas podem ser reaproveitadas para cultivar vegetais de pequeno porte, temperos e ervas medicinais, presas em muros e paredes ou apoiadas em suportes de diferentes materiais. A idéia é aproveitar pequenos espaços e materiais de baixo custo para montar hortas em casas, apartamentos ou mesmo no local de trabalho. É uma forma popular de se apropriar de técnicas já existentes sustentáveis, viáveis e econômicas.
MATERIAL
- Garrafa PET de 2 litros vazia e limpa;
- Tesoura
- Corda de varal, cordoalha, barbante ou arame
- Para os que optarem por cordoalhas ou arames, serão necessárias duas arruelas por garrafa PET
- Terra
- Muda de planta
MODO DE FAZER
Corte a garrafa PET, como na foto abaixo.
Detalhe do corte na garrafa PET
Para fixar as garrafas, devemos fazer dois furos no fundo da garrafa e dois na parte superior da garrafa. Dá pra entender direitinho olhando bem a foto acima. Além dos furinhos para passar a corda, é necessário um pequeno furo no fundo da garrafa. A água usada para regar a muda precisa escoar.
Depois disso, passe a corda por um furo e puxe pelo outro.
Muitas pessoas nos perguntaram como fazer para as garrafas não “escorregarem” pela corda (ou barbante, ou cordoalha). Obrigado pela colaboração e participação. Pensando nisso, elaboramos dois desenhos, com duas sugestões.
- Para quem usar corda de varal ou barbante:

.
- Para quem usar cordoalha ou arame:

Depois, basta esticar e fixar a corda na parede.

.Esse modo de fazer pode ser melhorado, ok? É apenas um resumão! Fiquem a vontade para fazer qualquer alteração.

Dicas Marcelo Rosenbaum  - Arquiteto

sábado, 10 de março de 2012

Muzzicycle: primeira bike de garrafa PET é produzida em São Paulo


A palavra do século XXI é 'sustentabilidade'. Seguindo por essa linha, mais um produto do setor traz inovação para o mercado e alinha-se com a preservação do meio ambiente: Muzzicycles. 
A bicicleta ecologicamente correta é uma invenção do artista plástico uruguaio Juan Muzzi, radicado no Brasil, feita com a matéria-prima da garrafa PET, além de mais resistente, flexível, anti-ferrugem e ainda fruto da reciclagem.
Fabricada em São Paulo, a bike também não precisa de amortecedor e nem de pintura. É confeccionada por quadros, sendo que na fabricação de um quadro são utilizadas 200 garrafas. Cada quadro custa R$ 250 e a bicicleta completa pode chegar a R$ 3mil.
Há cinco modelos de Muzzicycle, com diferentes opções de cores, mas são vendidas apenas sob encomenda. O pedido pode ser realizado através do site, onde também dá para conferir quantas garrafas PET estão sendo transformadas em bicicletas novinhas.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Saiba como transformar camisetas velhas em brinquedo para cachorro

É muito fácil acumular roupas. Se você for limpar seu armário é capaz de encontrar um monte de camisetas velhas que não utiliza mais. Algumas dessas peças podem ainda estar em ótimo estado e bonitas para serem usadas, mas existem aquelas que são muito velhas ou possuem manchas ou buracos.
Veja uma dica divertida e sustentável para você dar uma nova utilidade à suas velhas roupas, transformando-as em brinquedo para cachorro. A sugestão é super fácil de fazer e deixará seu animal de estimação muito feliz.
A sugestão é transformar sua camiseta em um “cabo” para você brincar com seu cachorro com um jogo chamado “cabo de guerra”, que certamente seu bichinho vai adorar. O brinquedo artesanal também serve para roer, e isso deixará o animal entretido e ocupado durante o dia, enquanto estiver dentro de casa.
Os materiais necessários são: camisetas velhas e tesoura. A dica sugerida aqui foi feita com cinco camisetas para dar uma variedade de cores ao brinquedo.
1.Pegue sua camiseta velha e corte-a em 12 tiras de 2,5cm de largura e 17cm de comprimento. Dependendo do tamanho do seu cão, poderão ser necessárias tiras mais longas.

2. Junte as 12 tiras com a mão e dê um nó em uma das extremidades.
3. Divida as tiras em três grupos de quatro e comece a trançar os fios para baixo, a partir do nó – exatamente como tranças.


4. Dê um nó bem apertado no final da trança e corte as aparas. O brinquedo do seu cão já está pronto para ser usado.
FONTE:http://www.ciclovivo.com.br

sexta-feira, 2 de março de 2012

Pense!

Dicas de reciclagem no ambiente de trabalho

Confira abaixo algumas ações que podem ser implantadas por sua empresa. A mãe natureza agradece!

1 - Ao falar em reciclagem, é preciso que a empresa tenha um local apropriado para depositar o material coletado como, por exemplo, depósitos para papéis, plástico, vidro, metais e lixo orgânico.
2 - Dê um nome oficial à campanha. Isso dará uma identidade ao programa e o tornará parte da cultura da empresa.
3 - Institua um dia para lançar a campanha e lembrar a todos sobre a importância do meio ambiente para a sobrevivência do homem. Nos anos posteriores, essa mesma data poderá fazer parte do calendário oficial da empresa e quando isso ocorrer, escolha um funcionário que se destacou na campanha de reciclagem. A organização poderá conceber a esse profissional o título de "Amigo da Natureza" e premiá-lo simbolicamente com um certificado, uma camiseta e uma medalha, por exemplo.
4 - É importante que seja formada uma comissão para coordenar a campanha. Isso dará um norte às ações, permitirá um planejamento e os resultados certamente serão mais eficazes. Os membros podem ser representantes de setores estratégicos da empresa e que realmente estejam dispostos a "abraçar" a iniciativa.
5 - Conscientize os funcionários, enfatizando a importância que cada um terá ao colaborar com a preservação do meio ambiente. Divulgue informações sobre como será conduzida na prática na prática a campanha de reciclagem; os reflexos que o descaso com a natureza gera à vida de todos os habitantes do planeta. Se possível, cite exemplo de outras empresas que realizam trabalhos semelhantes.
6 - Utilize os canais de comunicação interna para dar suporte à campanha como intranet, murais, informativos impressos. Use uma linguagem acessível a todos os níveis da empresa.
7 - Solicite que os colaboradores levem as informações sobre a reciclagem para além dos muros da empresa e as repassem aos familiares, aos amigos e aos vizinhos.
8 - Para que a reciclagem funcione bem na organização, é preciso que a equipe da limpeza também tenha consciência da colaboração que dará. Faça um treinamento específico com esses profissionais.
9 - A atuação de formadores de opinião é importante, para que os funcionários sempre estejam motivados a participar da campanha. Nesse sentido, convide algumas pessoas para serem os disseminadores das atividades desse processo que inclui uma mudança de comportamento.
10 - As ações em favor do meio ambiente são inúmeras. Mesmo que a empresa seja de pequeno porte, por exemplo, lembre aos colaboradores que só imprimam informações realmente necessárias. Se uma folha de papel já foi usada, o verso pode servir de rascunho. Ao reaproveitar 40 quilos de papel, uma árvore no planeta será poupada do corte.
11 - Parcerias com empresas que trabalham com material reciclado são bem-vindas
12 - Disponibilize um canal para receber sugestões, críticas e novas ideias dos colaboradores, para que a campanha seja aprimorada.
13 - Divulgue os resultados da campanha, pois é fundamental que as pessoas saibam que o empenho delas não é tempo desperdiçado.

FONTE: http://www.rh.com.br

quinta-feira, 1 de março de 2012

Centro de Convivência da Unicruz recebe adesivos da Coleta Seletiva Solidária


Equipe do Profissão Catador realizaram a colagem na manhã de quinta-feira (1º) 

     Ponto de encontro de milhares de estudantes, o Centro de Convivência Universitário (CCU) da Universidade de Cruz Alta foi transformado em um grande cenário da Coleta Seletiva Solidária (CSS). Assessores do projeto Profissão Catador: entre o viver e o sobreviver do lixo, parceria entre Unicruz, Prefeitura de Cruz Alta e Petrobras que atua conjuntamente com a campanha de separação de resíduos sólidos, colaram adesivos informativos nas mesas da Praça de Alimentação do CCU. O material detalha os itens que podem ser reciclados e os que devem ser descartados.

  
No intervalo das aulas, acadêmicos já conferiram a novidade do CCU

     Conscientizar a comunidade acadêmica para a importância de separar produtos recicláveis dos orgânicos/biodegradáveis é a principal meta do trabalho. Para manifestar a iniciativa ao número máximo de pessoas, o assessor de comunicação do Profissão Catador, Vinicius Campos, também pede responsabilidade para os visitantes do CCU da Unicruz. “Contamos com a colaboração dos acadêmicos para que os adesivos sejam preservados”, reforça.


Arte gráfica do adesivo foi trabalhada em 360º pelo publicitário Vinicius Campos

 
 
Núcleo Integrado de Comunicação